Bonsai, a arte do cultivo.

Estas plantas maravilhosas tem mesmo o dom de encantar, além de serem muito bonitinhas. Trazem consigo um ar de misticidade, força e ao mesmo tempo delicadeza.

O que muitos não sabem, é que elas se dividem em estilos. Fiquei surpresa de saber que existem tantos tipos diferentes.

Vamos conhecer alguns deles?

Bunjin: estilo livre, com troncos finos e geralmente sinuosos. Usa vasos redondos ou arredondados, pesados na base para suportar a planta sem quedas.

Chokkan: ereto formal. Possui um único tronco reto e que vai se afunilando em direção ao ápice. É um estilo bastante encontrado na natureza, sobretudo em florestas de coníferas.

Fukinagashi: estilo varrido pelo vento. Estilo de Bonsai que lembra uma planta nascida em condições adversas de muito vento.

Kengai: cascata. Remete ao estilo de planta que nasceu num barranco a beira d’água.

Han Kengai: semi cascata. É um estilo parecido com o anterior sendo que a sua forma é mais suave e a sua inclinação não ultrapassa a borda do vaso.

Hokidachi: escova ou vassoura. Tronco reto, onde os ramos saem em grande quantidade de um determinado ponto do tronco. Lembra uma sombrinha aberta.

Moyogui: estilo vertical informal. Estilo vertical de tronco sinuoso. Da mesma forma que os demais estilos verticais, deve iniciar a ramificação no primeiro terço do tronco.

Neagari: raízes expostas. Como o nome diz, expõe a parte mais grossa das raízes e dando a impressão de que elas fazem parte do tronco.

Shakan: estilo reto, com inclinação ao eixo vertical. Idéia de equilíbrio pela disposição harmoniosa dos ramos em relação a inclinação das raízes.

Yose-Ue: consiste num grupo de árvores plantadas em um vaso razo. A idéia é aparentar um bosque ou floresta.

Penjing: paisagem em uma bandeja. A idéia é capturar os detalhes de uma paisagem e reproduzi-las em miniatura.

Para mais detalhes, visite o site www.projetobonsai.com.

Bjos!